terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Luiz Flávio Borges D'Urso - De Inimigo do Estado a Assassino da Expressão.

O continuista presidente da oab de São Paulo (1), adora um holofote, 
não importando-se que para isto utilize de recursos ilícitos para atingir seus objetivos.

O patrono do fracassado movimento cansei  (uma espécie de fora lula da elite), 
após apropriar-se da comoção da tragédia ocorrida com a empresa aérea tam para tentar criar um cenário 
de instabilidade política e jurídica (2), volta-se agora contra a maior das Liberdades: O Direito a Expressão.

Em artigo (sic), publicado na folha de São Paulo em 25/09/10
 intitulado:
"NA DEMOCRACIA, A LIBERDADE DE EXPRESSÃO DEVE TER LIMITES?", com a complacência da mídia, 
Luiz Flávio Borges D'Urso para tentar justificar o ato canalha de tentar censurar uma obra artística, afirma:

"A  nossa Constituição Federal acertadamente proíbe a censura, mas a ausência de censura não implica em ausência de limites legais ou liberdade absoluta para tudo. Não se pode sob o manto da obra de arte, colocar-se acima da lei." 

Quais os LIMITES LEGAIS ou QUAL LEI  o "douto" faz referência?!
Não as coloca pois elas não existem, porém de maneira leviana e eloqüente tenta iludir o leitor.

E segue:

"Explico. A liberdade de expressão em seu processo criativo não pode ter qualquer tipo de limite, enquanto na esfera privada, mas a exibição pública do resultado dessa liberdade de expressão tem que respeitar os limites da lei.

Exemplificando, fica fácil entender e aceitar isso, quando se verifica que não se permite a exibição de filmes pornográficos, com cenas de sexo explícito  pela televisão, em canal aberto, durante as tardes. Aqui, inegavelmente há limitação na exibição da obra cinematográfica."

Evidentemente qualquer pessoa por menos familiarizada que esteja com o idioma pátrio, 
percebe a má-fé de Luiz Flávio Borges D'Urso, ao tentar justificar  seu pedido de CENSURA PRÉVIA, comparando-o com um sistema classificatório de exibição e alegando que a lei impõe limites
A lei não impõe nada! Ela classifica. São Coisas absolutamente diferentes.

E continua:

"Vou mais longe. A ofensa irrogada contra alguém pode ensejar crime e punição ao autor. Caso o autor repita a ofensa em versos,  nada muda. A forma poética não fará com que a ofensa seja mitigada ou desapareça."

Tirante o horrível e absurdo pleonasmo (3), o contraditório presidente da oab paulista reconhece que 
a lei já oferece mecanismos de punição a qualquer ofensa, mas omite que isto é uma demanda 
após o fato concretizado e não no pré-julgamento do feito.

Prossegue:

"Há peças teatrais que são exibidas em salas fechadas,  teatros, nos quais não se permite a entrada de crianças. Ora, não é porque se trata de arte cênica  que  poderia ser exibida em praça pública, também para crianças."

Mais uma vez Luiz Flávio Borges D'Urso; escorando-se na redundância, tenta desviar o conteúdo criminoso 
de sua "marcha" pela Censura Prévia, usando como exemplo o recurso da exibição classificatória
Acreditando provavelmente que o leitor seja um idiota.

completa:


"Insisto  que, caso um pintor, conceba uma tela, na qual seja retratada a mãe de alguém, nua, inserida num bacanal, num prostíbulo, embora esse pintor  possa concretizar essa obra, não lhe será permitido, impunemente, exibí-la publicamente. Isso não tem nada a ver com censura."


Tentando manipular incautos e distraídos  leitores a afirmação de Luiz Flávio Borges D'Urso, é falsa e leviana, pois será permitido sim a exibição publica, não há como... é Cláusula Pétrea. O que ocorre é que o autor de "suposta" obra agressiva a outrem responderá a lei pelos seus atos,  após o feito concretizado. Até rábula sabe disto.


justifica:


"Aliás,  é bom que se lembre àqueles que bradam pela liberdade de expressão  sem limites, que devem respeitar, em nome dessa mesma liberdade que defendem, o direito da opinião contrária. Tenho visto manifestações de alguns poucos que asseveram que estou errado, desqualificando-me, negando-me o direito de opinar, debochando dos argumentos e decretando que qualquer opinião contrária a sua é censura.  Esse debate é menor e não merece resposta."


Luiz Flávio Borges D'Urso mais uma vez (é  hábito seu), tenta transferir a responsabilidade a outrem. (4)
Ora a sociedade afirmou com segurança a sua intenção criminosa de instituir a CENSURA PRÉVIA.  
Não foi-lhe negado em momento algum o direito de opinar e  nem teria como sendo que o mesmo ingressou através de sua entidade sem consulta alguma com uma ação com a intenção notória 
de PROIBIR A EXPRESSÃO DE OBRA ALHEIA.

finaliza:

"Por entender que a Bienal de São Paulo é um espaço que recebe um público de massa, estima-se nessa edição 1 milhão de visitantes, especialmente jovens em formação, entendo que a série “Inimigos” não deveria integrar essa Mostra, por fazer apologia ao crime, atacar a dignidade dos representados e atentar contra as instituições democráticas, representada  pelo  presidente da República, entre outras figuras públicas internacionais, como o Papa Bento XVI."


Luiz Flávio Borges D'Urso deve saber que apologia ao crime é uma entidade que "finge" preservar o direito, não manifestar-se contra a presença de Ari Pargendler a frente do Superior Tribunal de Justiça.

Atacar a dignidade de representados é omitir-se frente a campanha sórdida realizada pelo promotor (sic) 
Maurício Antonio Ribeiro Lopes contra um cidadão eleito Francisco Everardo Oliveira da Silva,  o Tiririca.

Atentar contra instituições democráticas é fomentar movimentos elitistas como o "cansei" 
contra o estado de direito para alcançar privilégios tais como os tribunais de Pequenas Causas em aeroportos destinados a tratar de assuntos da elite usuária de avião, enquanto as rodoviárias, as escolas e hospitais não recebem NENHUMA assistência jurídica do estado.

conclama:

"Urge, portanto, realizarmos uma  ampla discussão sobre os limites da liberdade de expressão  no Brasil diante  de obras que deseducam e pregam a intolerância aos direitos humanos. Enquanto isso, o tema já foi encaminhado ao Ministério Público paulista para verificar a questão da apologia ao crime. Podem discordar de minha posição, mas não serei omisso em temas que tocam a defesa da cidadania e da democracia."

Não há o que ser discutido sobre
os limites da liberdade de expressão no Brasil ou em qualquer lugar.
Expressão Com Limite é Vôo de Pássaro Sem Asa.

Não há o que discordar da posição biltre de Luiz Flávio Borges D'Urso acompanhado do apoio infame 
da presidente do IASP - Instituto dos Advogados de São Paulo.de Ivette Senise Ferreira:
"A liberdade de expressão não é um princípio absoluto, sendo limitado pela salvaguarda da ordem social",
O estado democrático permite que sejam expressas idéias por mais insanas ou fascistas que sejam. 
É Isto Que Defendo.

Fariam melhor estes dois na sua incansável militância, que apresentassem NOTA PÚBLICA e OFICIASSEM 
o Senado Federal, a Procuradoria da República e o Ministério Público Federal,
sobre a continuidade do abjeto ARI PARGENDLER a frente do Superior Tribunal de Justiça. 
Mas isto dá trabalho 

A razão deste artigo nesta data e não na época da publicação, (durante o período do concurso eleitoral),
é que o Brasil sofre de um problema crônico de falta de memória e um agudo de "deixa-para-la-ismo",
acontece que a extrema direita nunca dorme e está sempre de prontidão para "proteger nossas liberdades".
É primordial que não nos esqueçamos disto.


CãRiùá TaTaRaNa



NoTaS:

 
1) está no terceiro mandato, de uma entidade privada que recebe "pasmem" 
porcentagem sobre processos do Poder judiciário.

2) movimento elitista cujo o objetivo era garantir mais regalias aos usuários de avião criando o "caos aéreo". Porquanto que nos
portos fluviais, estações rodoviárias e ferroviárias tudo estava na mais perfeita ordem.

 
3) não é possível irrogar contra, é à ou sobre alguém.
 
4) exemplo acabado disto foi quando o malogrado "cansei"  foi transformado em "cansamos". 

4 comentários:

Brasigrega disse...

È um canalha na medida exata da palavra! Traidor da Democracia e dos Direitos do Cidadão!
Essa gentalha não merece nem a minha indignação...
Parabéns pela matéria.
Divulgue mais. No twitter não basta só uma vez. Vou divulgar também.
Um grande abraço!
Marineide

Anônimo disse...

Não me enquadrei no babado...nem interessante, engraçado ou o outro...
Câri...o D'Urso é deplorável...o Cansei foi deplorável e figuei enojada de novo...Blagh!
Por hora, sem sugestões mas, disposta a aderir a alguma...afinal, de tanto ver triunfar...afffffffffffffff
SOCORROOOOOOOOOOOO!!!!

Anônimo disse...

Adoro saber que existem pessoas como voce divulgando os maufeitos dos que se dizem donos da verdade !
Parabéns, sou sua fãn .... Feliz 2011 ! Um grande beijo... Graça

Thaís disse...

Excelente argumentação. Confundir a democracia com a suposta democracia defendida por setores elitistas não pode se tornar algo banal. Seu texto é fundamental para descortinar essas falácias. Vou postá-lo em meu blog.